Envie este conteúdo por email

Notícias e Publicações

Como se destacar no Direito, segundo advogados membros da rede de Líderes da Fundação Estudar

Com mais de um milhão de advogados no mercado brasileiro, profissionais da área de direito precisam trabalhar muito para se evidenciar no setor. Em busca de dicas de como se diferenciar em um mercado tão competitivo, o Na Prática convidou dois líderes da rede de alto impacto da Fundação Estudar, conhecida como Líderes Estudar, para falar sobre como se destacar na área jurídica.

Ricardo Veirano, sócio do escritório Veirano Advogados, decidiu construir uma carreira no direito por influência do pai, que atua no ramo jurídico. “Mas minha maior motivação foi tentar resolver problemas e entender como as regras do jogo funcionavam. Eu não estava muito certo do que eu queria fazer e percebi no direito um ramo que oferecia muitas possibilidades de atuação em vários setores diferentes”, explica.

Especialista em direito empresarial e eleito como advogado do ano, em 2017, pelo ranking internacional Best Lawyers, Ricardo percebe que o mercado jurídico está lotado de profissionais, mas que sempre há espaço para pessoas com boa formação e garra. “Para se destacar na área jurídica, você precisa ser resiliente, lutar e mostrar muita força de vontade. No ramo empresarial especificamente, rapidez, empatia com as pessoas em geral, adaptabilidade, procurar entender os outros e trabalhar com ética são habilidades que funcionam a longo prazo”, exemplifica.

Membro da rede de alto impacto da Fundação Estudar, ele analisa que existem vários desafios para trabalhar com o direito atualmente, principalmente ligados às novas tecnologias, formas de atuar na profissão e as longas horas de trabalho. “O direito tem esse grande mérito de regular as relações sociais e evitar que as disputas sejam feitas de maneira incivilizada. Regras boas podem desenvolver bem uma sociedade”, aponta. Entre as recompensas de atuar na área jurídico estão o sentimento de ajudar pessoas e causas, além de treinar os pares.

“Todo mundo acha que o profissional bem-sucedido nunca falhou, mas falhou muitas vezes e se levantou em seguida. É importante ter uma mentalidade de crescimento, atitude mental diante da vida que você nunca perde, você só recebe feedback para fazer melhor da próxima vez. Claro, muita atenção para não repetir os mesmos erros”, finaliza.

Sócia do Yazbek Advogados, escritório especializado em mercado de capitais e direito societário, Marina Copola de Carvalho imaginava que iria trabalhar com jornalismo político ou econômico durante a adolescência. “Fui aos poucos migrando de área de interesse, e do meio do colegial em diante eu já sabia que queria estudar direito, e que queria advocacia empresarial. A confirmação veio no segundo ano da faculdade, com as aulas de direito comercial. A verdade é que hoje eu tenho consciência que fui um caso bem atípico – essa espécie de convicção não é comum, nem mesmo necessária. Conheço advogados excepcionais que não tinham essa certeza toda, e acabaram virando quem são de um jeito quase acidental”, pondera.

Contudo, ela avalia que pessoas que querem seguir carreira no direito devem se perguntar se gostam do trabalho, se esse era o caminho que imaginavam e se é coerente com a vida que desejam. “A rotina pode ser realmente intensa e, por isso, é necessário não perder a leveza de vista. Diversas vezes eu penso se não deveria ter feito uma ou outra coisa diferente. Mas mesmo nos dias mais difíceis eu posso responder sem hesitação que sou muito feliz na profissão que escolhi e isso me dá ânimo para pular da cama”, compartilha.

Para quem quer se destacar na área jurídica, Marina recomenda ter uma sólida base em teoria geral do direito e fluência em inglês. “Além disso, nunca parar de estudar, ler jornais e revistas especializadas. Os indivíduos mais brilhantes com os quais interajo são aqueles que sabem sair de uma situação enroscada com criatividade e algum improviso. Todos são eternos curiosos e estão constantemente aprendendo”, revela.

A advogada aponta que existem desafios do ponto de vista financeiro para se especializar e manter o ritmo constante de estudo.  “Eu tive muita sorte de poder contar com o amparo dos meus pais, de amigos que me emprestaram recursos e da Fundação Estudar. Eu sou, como não poderia deixar de ser, muito grata a essa rede”, divide. Ela finaliza afirmando que o direito é uma das ferramentas mais poderosas de transformação social. “Acredito que em qualquer área de atuação nós podemos ser instrumentos de mudança. Basta estar atento e disposto a trabalhar bastante”.